Por Ana Sofia Machado (*)

O setor das Tecnologias de Informação procura talento qualificado para responder às exigências cada vez maiores de um mercado em constante mutação. As empresas procuram sempre os(as) melhores candidatos(as) para as posições mais desafiantes e isso acarreta desafios e oportunidades para os profissionais da área. Os perfis dos(as) candidatos(as) devem destacar-se para captar a atenção dos recrutadores e assim encontrarem o projeto de sonho com que sempre ambicionaram.

Com cerca de 3 milhões de utilizadores a residir em Portugal com perfil de LinkedIn criado, o primeiro passo é transformar esta rede social numa máquina de atração de novas oportunidades de carreira. Como? Basta seguir estes dez mandamentos para ter um perfil de sucesso no LinkedIn e conquistar a "batalha" da diferenciação:

  1. Ter uma foto atualizada

A par do nome, a fotografia é um dos primeiros conteúdos que o utilizador “lê”. Ter uma foto adequada e atualizada no perfil de LinkedIn é um dos principais requisitos para criar impacto numa primeira impressão. Não precisa de uma grande produção, até porque não é a sua aparência que está em causa. Lembre-se apenas que é importante criar uma ligação com a pessoa do outro lado (que pode ser um potencial empregador).

Como fazer? Encontrar uma parede de cor neutra, escolher um sítio com iluminação, evitar as sombras e vestir uma camisa lisa. Não precisa de ir ao fotógrafo para tirar um retrato adequado (e evitar aquela selfie ou foto de praia no perfil). ?

  1. Resumir numa frase o perfil profissional

Depois da fotografia, é o título o que mais chama a atenção do visitante ao seu perfil. A abordagem mais comum é referir o cargo e a organização atuais, mas pode ir mais longe ao incluir a área profissional de maior interesse para si, a sua missão, ou até mesmo os seus interesses. Dizer o que o/a move ou algo por que se interessa, como uma tecnologia ou metodologia, pode também ser uma forma de se diferenciar de outros(as) candidatos(as).

Como fazer? Descreva quem é e o que faz de forma objetiva, evitando expressões muito vagas ou abrangentes. Lembre-se que as palavras-chave que utilizar no título vão ajudar os(a) recruiters.

  1. Partilhar os objetivos de carreira

Quer mudar de área tecnológica? Procura um projeto em full-remote? Quer ter uma experiência internacional? Identifica-se com um determinado tipo de organização ou setor de atividade? Inspira-se em determinados valores organizacionais? O melhor lugar para incluir esta informação é na secção da descrição. Quer seja mais objetivo ou mais criativo, evite deixar este espaço em branco.

Como fazer? Use este espaço para dizer (ao mercado) que projetos e tecnologias o(a) apaixonam, em que se imagina a trabalhar no futuro, ou que oportunidades está disposto(a) a considerar. Por exemplo, se equaciona evoluir para uma posição de Team Leader, deixe claro que está a considerar ofertas para gestão de equipa.

  1. Detalhar a experiência profissional

Este espaço é dedicado ao seu histórico profissional e é importante que inclua as suas experiências mais relevantes, sempre tendo em conta o que ambiciona para a sua carreira.

Importa ser transparente e mostrar qual foi a função que assumiu em cada projeto em que esteve envolvido, quais foram as suas responsabilidades e o que aprendeu em todas elas. É essencial que o(a) recruiter consiga perceber qual o caminho que fez até aqui e que marcos de desenvolvimento profissional foi alcançando. Faça o exercício de refletir no contributo individual que teve em cada uma das suas experiências anteriores – isso demonstrará que competências tem e como pode fazer a diferença numa equipa.

Como fazer? Na descrição de cada entrada, inclua informação detalhada acerca dos projetos em que participou. Pode referir em que clientes ou setores de negócio trabalhou, que função e responsabilidades desempenhou, em que período, e que tecnologias usou, por exemplo.

  1. Incluir a formação académica e/ou prática

Num mundo em constante atualização como o da tecnologia, é importante que dê visibilidade à sua formação, tanto académica como prática. É essencial indicar o nome do seu curso, bem como a escola, instituto superior ou universidade que frequentou. Não deixe de incluir outros cursos ou workshops que tenha realizado, e que de alguma forma completam a sua formação e lhe trouxeram novas competências.

Como fazer? Preencha a secção de Educação com informação sobre a curso ou formação, a entidade formadora, e a data ou o período em que realizou a formação. Pode ainda incluir uma breve descrição sobre a experiência de aprendizagem (n.º de horas, tópicos da formação, competências adquiridas, etc.).

  1. Adicionar os certificados de formação

Tem ainda um espaço próprio onde pode acrescentar certificados digitais ou licenças que tenha obtido (seja na utilização de uma determinada tecnologia, metodologia ou até em alguma língua). Estes diplomas são uma prova dos seus conhecimentos, revelando também que é uma pessoa proativa, curiosa e com o foco constante em evoluir.

Como fazer? Adicione a informação relativa à sua certificação, indicando o tema ou tópico, a entidade formadora, a data de validade do diploma (caso o tenha), e um hyperlink para o certificado em si.

  1. Destacar experiências de enriquecimento pessoal e/ou profissional

Em última instância, a missão da tecnologia é tornar a vida das pessoas mais simples e mais feliz. Mostrar que é uma pessoa envolvida na comunidade – tecnológica ou no geral – pode fazer a diferença num processo de recrutamento. A participação num projeto open-source, a realização de voluntariado social ou outras experiências similares dão ao(à) recruiter uma melhor noção do seu crescimento e evolução profissional e, acima de tudo, pessoal.

Como fazer? Inclua informação sobre o voluntariado ou participação pro bono, dando destaque ao seu papel no grupo ou organização, indicando a causa a que se dedica (tecnológica, animal, social, ou outra), o período em que colaborou na missão e o que aprendeu com essa experiência.

  1. Identificar as competências-chave

A secção relativa às suas competências (Skills & Endorsements) é muito importante. Ela não só resume os tópicos que domina na sua área de especialidade, como também permite à sua rede validar essas mesmas competências, destacando o seu contributo para essas áreas. Ao mesmo tempo, isso torna o seu perfil mais credível e profissional.

Nota importante: as skills que incluir nesta secção vão ser determinantes no processo de procura e seleção utilizado pelos(as) recruiters. Garanta que o seu LinkedIn se destaca pelas suas competências core – as em que tem trabalhado, as que são o seu ponto-forte, aquelas em que trabalha ou em que pretende continuar a evoluir.

Como fazer? Descreva as suas principais competências ou selecione as competências que o LinkedIn automaticamente lhe sugere, com base na informação do seu perfil. Mantenha esta secção atualizada e focada naquilo que é o que mais o destaca enquanto profissional.

  1. Solicitar recomendações

Já teve a oportunidade de integrar alguns projetos que correram bem e que o(a) deixaram orgulhoso(a)? Trabalhou com a dream team num projeto interessante? Obteve bom feedback do seu trabalho com uma tecnologia de ponta? Esta é a oportunidade para capitalizar as referências dos seus colegas, Team Leaders ou mesmo clientes. O facto de ter uma review profissional de alguém que testemunhou o seu trabalho valida a sua experiência, as suas competências, e enriquece significativamente o seu perfil!

Como fazer? Fale informalmente sobre o tema com os seus colegas, gestores de projeto ou clientes sobre a disponibilidade para partilharem a experiência de trabalharem consigo. Se acolherem a ideia, diga-lhes que significaria muito para si ter esse feedback sob a forma de uma recomendação no LinkedIn. Arrisque… e vai ver que se vai surpreender com o que têm a dizer sobre si.

  1. Falar sobre as conquistas

Apesar do título hercúleo, esta secção é muito versátil. Aqui, pode incluir publicações que tenha feito (por exemplo, um paper ou artigo que tenha escrito durante a sua formação académica), cursos técnicos que tenha frequentado, projetos específicos em que tenha participado, prémios ou reconhecimento que tenha conquistado, resultados que tenha obtido nalgum teste técnico, línguas que domine, ou associações das quais faça parte.

Como fazer? Escolha o tipo de informação mais relevante para o seu perfil e para as oportunidades de carreira que quer alcançar. Por exemplo, se o seu objetivo é trabalhar num projeto internacional, colocar o seu nível de compreensão escrita e oral da língua inglesa pode ser determinante para entrar num processo de recrutamento.

Uma nota final

Ter um bom perfil de LinkedIn, que faça justiça à sua passada e presente situação profissional e que o ajude a conquistar as suas ambições futuras, não é difícil. Mas certamente exigirá tempo e dedicação. Lembre-se que o seu perfil tem de contar uma história: a sua história. Tem de espelhar a sua experiência, o que lhe interessa, o que procura na sua carreira e, acima de tudo, o que o(a) faz feliz!

Se seguir estes 10 Mandamentos vai transformar a sua presença no LinkedIn e garantir que os(as) recruiters o(a) conseguem encontrar e apresentar-lhe os projetos que procura.

(*) IT Talent Acquisition Consultant at Neotalent

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.