A inteligência artificial parece ter entrado na vida e, inclusive, na rotina diária dos portugueses, a julgar pelos resultados do estudo “A Perceção da Inteligência Artificial pelos Consumidores”, realizado pelo GroupM. A análise conclui que 96% dos portugueses sabem o que é a IA e que 70% utilizam a tecnologia no seu dia-a-dia.

Um melhor e mais rápido acesso à informação, a poupança de tempo e a melhoria de áreas-chave da sociedade como a saúde ou a segurança são apontados como as vantagens principais da IA.

Novo acordo internacional quer que empresas de IA assumam a responsabilidade de criar sistemas seguros
Novo acordo internacional quer que empresas de IA assumam a responsabilidade de criar sistemas seguros
Ver artigo

No que toca ao recurso a ferramentas de IA, as aplicações de reconhecimento facial e de voz, ou de tradução automática são identificadas como as mais utilizadas, mas é o ChatGPT que surge, por uma margem acentuada, como a aplicação mais reconhecida pela população (93% dos inquiridos).

Entre as conclusões destaca-se ainda que nove em cada dez portugueses acreditam que a IA é a nova Revolução Industrial e encaram o fenómeno de crescimento desta tecnologia como interessante (62%) e uma oportunidade (48%).

Clique nas imagens para mais resultados

Além disso, há uma perceção generalizada de que a IA irá funcionar como um alicerce para o desenvolvimento de vários setores , como o da saúde, do ambiente e da defesa.

65% dos consumidores querem ser informados quando estão a ser atendidos por assistentes com IA
65% dos consumidores querem ser informados quando estão a ser atendidos por assistentes com IA
Ver artigo

Apesar de 81% dos indivíduos que participaram no estudo acreditarem que a Inteligência Artificial será uma coisa boa para a sociedade, a tecnologia ainda é vista como uma ameaça por cerca de um terço. A manipulação de informação (83%), a invasão de privacidade através do uso de dados pessoais (81%), ou a pirataria informática (79%) são apontados como os principais riscos.

Além destas barreiras, também é dado grande ênfase à importância de regulamentar o uso da IA e de criar um organismo que regule a sua utilização, algo com o qual mais de 85% dos participantes está de acordo.

Apresentado durante o evento “Marketing e Comunicação na era da Inteligência Artificial”, o estudo do GroupM contou com a participação de 600 indivíduos entre os 18 e os 64 anos, com o objetivo de aprofundar a forma como os portugueses percecionam, pensam e se envolvem com a Inteligência Artificial, refere Francisco Teixeira, CEO do GroupM, citado em comunicado.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.