A partida do foguetão Soyuz foi adiada por várias vezes esta semana mas acabou por se concretizar esta madrugada, colocando um novo par de satélites Galileo a caminho da constelação Galileo.

O lançamento da missão foi às 00h19 GMT e quatro horas depois os satélites estavam na órbita devida. A ESA já confirmou que os novos membros da constelação Galileo estão de saúde e bem posicionados.

Os dois novos satélites partiram à boleia de um foguetão Soyuz, a partir do Porto Espacial Europeu na Guiana Francesa. O lançamento esteve marcado para a madrugada desta sexta-feira (00h27 em Portugal continental) e foi depois adiado para dia 4, mas só se concretizou na madrugada de dia 5 devido a condições atmosféricas adversas.

Veja as imagens do lançamento dos satélites

Desde o arranque à separação do par de satélites na órbita média da Terra são aproximadamente três horas e 51 minutos. As três primeiras etapas do Soyuz cumprem a sua tarefa nos primeiros nove minutos e 24 segundos de voo.

Depois disso, decore o estágio superior Fregat que leva os satélites o resto do caminho, até à sua órbita a 23.525 km de altitude.

O lançamento Galileo desta semana é o 11º em 10 anos. Estão previstos dois outros lançamentos para o próximo ano, que irão permitir à constelação Galileo alcançar a plena capacidade operacional na disponibilização de serviços.

Os dois satélites lançados esta madrugada são os primeiros do chamado “Lote 3”, composto por 12 satélites Galileo de primeira geração adicionais, destinados a alargar a constelação até aos 38 elementos e atuar como backup e suplentes dos satélites que chegam ao fim da sua vida útil.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.