Apesar da chegada do inverno, a guerra na Ucrânia não parece baixar de tom e a cidade de Mariupol, no sul da Ucrânia, continua a ser uma das mais fustigadas pela invasão russa. Novas imagens de satélite da Maxar Technologies mostram como o cemitério Starokrymske,  da cidade, tem vindo a ser expandido, desde que foi invadida em março. Testemunhas da cidade dizem que os soldados russos continuam a retirar corpos dos edifícios destruídos e a serem enterrados no cemitério.

A BBC News estima, a partir da análise das imagens de satélite, que tenham sido criadas mais de 1.500 novas campas no cemitério. E quando a cidade caiu para as mãos da Rússia, em maio, milhares de civis terão morrido. As imagens revelam que mais três grandes locais onde estão a ser enterradas as pessoas têm crescido, perto de Mariupol, nomeadamente Staryi Krym, Manhush e Vynohradne. Estima-se que desde o início da guerra mais de 4.600 campas foram escavadas, mas não se consegue determinar quantas pessoas foram enterradas.

Veja as novas imagens de satélite do cemitério de Mariupol:

Segundo refere a Maxar, citado pela Euronews, ao longo da cidade, dúzias de edifícios de apartamentos elevados que foram destruídos ou altamente danificados nos ataques de março estão agora a ser demolidos. Refere ainda que estão a ser vistos grandes quantidades de materiais de construção perto das zonas dos centros comerciais no Oeste de Mariupol e em outros locais.

Uma das imagens mostra mesmo um comparativo do teatro de Mariupol destruído nos ataques em março, com uma barreira protetora em redor, numa fotografia captada em novembro. Há mesmo uma imagem que mostra novas estruturas russas na cidade que foram construídas. Há duas fábricas a produzir estruturas antitanque, conhecidos como “Dragon’s teeth” (dentes de dragão).

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.