A Samsung apresentou os resultados relativos ao primeiro trimestre de 2019. Tal como já tinha alertado os investidores há algumas semanas, a empresa coreana registou uma quebra de mais de 60% nos lucros operacionais em relação ao mesmo período de 2018.

O relatório detalhado confirmou as projeções que previam um lucro operacional do grupo de 5,4 mil milhões de dólares (cerca de 4,8 mil milhões de euros), sendo que no mesmo período de 2018 tinha totalizado cerca de 14,6 mil milhões de dólares (13 mil milhões de euros).

Entre as razões apontadas pela Samsung para estes resultados, estão uma quebra de 23% nas receitas provenientes do negócio de chips de memória, que registaram uma baixa de preços acentuada, além de pequenas descidas nas vendas nos departamentos de dispositivos móveis e produtos eletrónicos.

Apesar destas quedas, a Samsung afirma que "o recém-lançado smartphone Galaxy S10 registou vendas sólidas". A empresa espera que a procura, não só pelo seu topo de gama como também pela série A (de gama média), venha a registar uma subida no próximo trimestre. A Samsung continua a ser a fabricante que mais vende na Europa, segundo dados revelados pela consultora Kandar.

O Samsung Galaxy Fold, o novo smartphone dobrável cujo lançamento foi entretanto adiado, não foi mencionado no relatório. No entanto, espera-se que também venha a contribuir para a subida dos lucros e para o fortalecimento da liderança da Samsung no segmento premium. Contactados pela Engadget, representantes da empresa coreana afirmaram esperar anunciar uma nova data de lançamento para o Galaxy Fold nas próximas semanas e reiteraram a sua confiança no sucesso do seu novo modelo entre os dispositivos topo de gama.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.