Portugal retomou em 2016 o processo de convergência com a Europa, com a despesa global a crescer para 1,3% do PIB, segundo os dados de todos os estados membros sobre o nível de despesa em Investigação e Desenvolvimento (I&D) em 2016 do Eurostat.

O decréscimo contínuo registado entre 2010 e 2015, com as despesas em I&D a passarem de 1,6% do PIB para 1,2% do PIB, inverteu-se com a despesa pública e privada a recuperar para 1,3% do PIB, em 2016, atingindo um valor de 2.348 milhões de euros.

Em 2015, a despesa em I&D nacional tinha sido de 2.234 milhões de euros, representando 1,2% do PIB, pelo que o valor de 2016 supera os níveis de despesa em I&D registados em 2015 em 114 ME, com a despesa em I&D a aumentar mais de 5% do que o aumento relativo do PIB.

O sector privado é aquele onde o crescimento é mais expressivo, uma vez que, em 2015, atingiu valores de 1.072 milhões de euros e em 2016 chegou aos cerca de 1.162 milhões de euros. Este aumento indica um crescimento de mais de 8% entre 2015 e 2016, ou seja, 90 milhões de euros.

Os novos dados indicam também que o nível global europeu mantém-se em cerca de 2% do PIB europeu, com cerca de apenas 300 mil milhões de euros em I&D, revelando uma estagnação relativa do nível de investimento global na Europa.

A existência de uma grande divergência entre Estados Membros é também indicada pelo Eurostat que aponta a Suécia e a Áustria como os únicos Estados Membros que ultrapassam o nível mínimo de investimento em I&D de 3% PIB, existindo uma elevada concentração do investimento no centro e norte da Europa.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.