Os dados fornecidos pelo Telescópio Espacial Spitzer da NASA permitiram "um raro vislumbre" das condições na superfície de um planeta rochoso a orbitar uma estrela além do Sol. Quem o diz é a agência espacial norte-americana, que revela que a superfície do planeta pode ser semelhante à da Lua da Terra ou do planeta Mercúrio.

Publicada esta segunda-feira na revista Nature, a investigação leva a crer que o planeta conta com muito pouca atmosfera, ou até mesmo nenhuma, e pode ser coberto pelo mesmo material vulcânico refrigerado detetado nas manchas escuras da Lua.

O planeta designado por LHS 3844b foi descoberto em 2018 pelo "caça planetas" da NASA, o TESS, e está localizado a 48,6 anos-luz da Terra, tendo um raio 1,3 vezes superior ao nosso planeta. E agora o telescópio da agência espacial foi capaz de detetar a luz da superfície do planeta, algo difícil dado o brilho da estrela mãe que ofusca o planeta.

Os dados revelam que o planeta faz uma revolução completa em torno da sua estrela mãe em apenas 11 horas, o que sugere que um dos lados do planeta está permanentemente voltado para a estrela.

Sendo extremamente quente, o planeta irradia uma grande quantidade de luz infravermelha e a estrela, apesar de muito mais quente que o planeta, é relativamente fria. Desta forma, a observação direta do LHS 3844b é possível durante o dia, através do telescópio infravermelho da NASA.

Em julho o TESS descobriu o exoplaneta mais pequeno identificado até agora, com 80% do tamanho da Terra. O L 98-59b está a 34,6 anos luz de distância e apresenta uma temperatura que ronda os 330 ºC, sendo 10% mais pequeno do que a descoberta anterior.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.