Neptuno e Urano têm massas, tamanhos e composições atmosféricas semelhantes, mas são diferentes na cor apresentada. É verdade que os dois são azuis, mas enquanto Neptuno apresenta uma tonalidade rica e profunda, Urano é de uma tonalidade mais pálida, a “fugir” para o ciano. E há uma razão para tal acontecer.

A cor azul de ambos os planetas é resultado da absorção da luz vermelha pelas suas atmosferas ricas em metano. Ambos são planetas gelados, mas acaba de ser atribuído um excesso de neblina a Urano, que se acumula na sua atmosfera estagnada e lenta, o que explicaria o aspeto mais esbranquiçado face ao seu vizinho.

Esta é uma das conclusões de um novo modelo de análise das atmosferas de ambos os planetas, proposto por uma equipa internacional liderada por Patrick Irwin, professor de física planetária da Universidade de Oxford, apresentado no Journal of Geophysical Research: Planets.

Os investigadores usaram dados de arquivo obtidos ao longo de vários anos pelo espectrógrafo do telescópio espacial Hubble, cobrindo uma ampla gama de comprimentos de onda. Além disso, os dados foram complementados com novas observações do telescópio Gemini North, assim como dados de arquivo registados pelo Observatório Infravermelho do Havai, refere a Agência Espacial Europeia (ESA) numa nota publicada online.

“Este é o primeiro modelo que se ajusta sincronicamente às observações da luz solar refletida do ultravioleta ao infravermelho próximo”, sublinhou Patrick Irwin. “Também é o primeiro modelo a explicar a diferença de cor visível entre Urano e Neptuno”.

O modelo desenvolvido mostra que existem três camadas de aerossóis em diferentes alturas na atmosfera de ambos os planetas. “A camada que mais afeta as cores é a do meio, que é uma camada de partículas de neblina (camada de aerossol-2), e é mais espessa em Urano do que em Neptuno”, explica a ESA.

Os investigadores consideram que, em ambos os planetas, o gelo de metano condensa-se nas partículas da camada de aerossol-2, arrastando as partículas mais profundamente na atmosfera numa chuva de metano.

Como a atmosfera de Neptuno é mais ativa e turbulenta, acredita-se que é mais eficiente a desviar partículas de metano para a camada de neblina e a produzir essa neve. Tal remove mais neblina e mantém a camada de neblina mais fina do que em Urano, daí o azul de Neptuno parecer ser mais forte.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.