Um grupo de investigadores da International Digital Accountability Council (IDAC) descobriu que um conjunto de três aplicações para Android, direcionadas para os mais jovens, estavam a violar as políticas de recolha de dados da Google, acedendo ao Android Advertising ID (AAID) ou Android ID dos utilizadores.

Ao todo, as apps, conhecidas pelos nomes Princess Salon​, Number Coloring e ​Cats & Cosplay e que, entretanto, foram removidas da loja digital da gigante de Mountain View, tinham mais de 20 milhões de downloads. Em entrevista ao website Tech Crunch, Quentin Palfrey, presidente da IDAC indicou que “as práticas observadas durante a investigação levantaram sérias dúvidas em relação às práticas de recolha de dados das aplicações”.

Duas das developers, a Creative APPS e a Libii Tech, ainda têm várias aplicações na Play Store e ao que tudo indica, ainda é possível fazer o download das aplicações através de websites que disponibilizam APKs. A mesma app ainda está também na App Store da Apple e a IDAC avançou que está a monitorizar a situação.

A IDAC explicou que, no que toca aos mecanismos suspeitos de recolha de dados em aplicações aparentemente inofensivas, há três kits de desenvolvimento de software (ou SDKs na sigla em inglês) que são particularmente problemáticos. Entre eles está, por exemplo, Unity 3D, o conhecido motor de criação de videojogos. Já o Umeng e o Appodeal são dois serviços de monetização de apps e de disponibilização de dados analíticos.

De acordo com Quentin Palfrey, o problema está na possibilidade de os dados, a que as aplicações através dos SDKs, poderem ser ligados a outras informações, como dos dados de geolocalização, contornando das regras de proteção de privacidade da Google.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.