O confinamento em casa e o encerramento de muitas lojas de eletrónica de consumo estão a mudar hábitos dos consumidores e a garantir uma utilização acima do normal das compras online. Os dados da GfK relativos à semana de 30 de março a 5 de abril revelam um crescimento acima de 250% das compras através da internet face à mesma semana de 2019, acumulando uma tendência que já se tinha sentido na semana anterior e que aprofunda os resultados da primeira semana de confinamento.

Rui Reis, gestor de produto da GfK, explicou ao SAPO TEK que esta terceira semana de confinamento obrigatório tem também bons indicadores da retoma total do mercado. Quando na semana anterior o total do mercado de tecnologia acompanhado pela consultora tinha registado quebras de 20%, nesta semana a queda do valor nas vendas de bens tecnológicos foi de apenas 5%, com bons resultados nas áreas de Home Office, sobretudo impressoras multifuncionais e computadores portáteis, que subiram 163 e 76%, respetivamente.

"O online continua a crescer de forma extraordinária e quase compensa a queda do mercado total", explica Rui Reis. "Já representa um terço do mercado, está a mudar-se o paradigma", afirma.

Várias grandes marcas de retalho de eletrónica e comunicações optaram por fechar todas as lojas, como a FNAC e a Phone House, direcionando todos os esforços para as vendas online. Também outras marcas que mantêm algumas lojas abertas, como a Worten ou a MediaMarket, estão a apostar mais nas vendas pela internet.

Entre os produtos que mais cresceram na última semana contam-e também as consolas, com um aumento de 145%, mas do outro lado as categorias que mais perdem são as máquinas fotográficas digitais, com perdas de 81%. Alguns produtos como Aspiradores e Máquinas de Lavar Roupa já estão a recuperar para valores normais, crescendo 2% no caso dos aspiradores.

Isolamento transforma computadores e smartphones em carrinhos de compras virtuais
Isolamento transforma computadores e smartphones em carrinhos de compras virtuais
Ver artigo

Os últimos dados revelados pela SIBS mostram que os sectores que registaram um maior aumento durante a pandemia foram o entretenimento e a cultura, com um aumento de 64%, seguindo-se o comércio alimentar e retalho com 45% de subida, a restauração, entrega de comida e take-away com 52% de crescimento.

De um modo geral, a organização revelou que compras de e-commerce subiram 17%, enquanto que as lojas de retalho físicas registou um aumento de 6%. O valor médio das compras online aumentou na última semana para 38,9 euros, face aos 37,5 euros (+4%) de média verificada antes da confirmação de casos em Portugal.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.