A detenção foi comunicada pela Polícia Judiciária que deu conta de que, através da Unidade Nacional Contraterrorismo (UNCT) "procedeu na passada terça-feira ao cumprimento de um Mandado de Busca domiciliária e de um Mandado de Detenção fora de flagrante delito, no âmbito de um inquérito titulado pelo DIAP de Lisboa, relativamente a um dos presumíveis autores da invasão online de um debate organizado pela Associação de Estudantes da Escola Secundária de Camões, no dia 18 de fevereiro de 2021, denominado "A Influência da escravatura e o racismo institucional"".

Segundo a PJ, o detido tem 17 anos de idade e está indiciado pela prática de crimes de discriminação e de incitamento ao ódio e à violência.

Numa altura em que muitos dos encontros e aulas decorriam online, a invasão de reuniões em Zoom tornou-se um dos problemas reportados por várias entidades, passando a ser conhecido o "método" por Zoombombing. A plataforma de videoconferência foi mesmo obrigada a reforçar a segurança dos acessos.

Ransomware, “Zoombombing” e hackers: Conheça os ataques e fugas de informação que marcaram 2020
Ransomware, “Zoombombing” e hackers: Conheça os ataques e fugas de informação que marcaram 2020
Ver artigo

Neste caso da Escola Secundária de Camões, o agora arguido partilhou o link da reunião em diversos canais e redes sociais, com o objetivo de, em articulação com outros utilizadores, perturbar o debate que estava marcado em Zoom. Na sequência desta partilha da ligação, "diversos indivíduos entraram da reunião online e publicaram fotos e gifts com conteúdos racistas e nazis, incluindo cruzes suásticas, ao mesmo tempo que imitavam sons de macacos e proferiam expressões como "Nigger", "Nigger go home", "Go back to Africa"", escreve a PJ.

Segundo a mesma fonte, o detido partilha em diversas plataformas digitais propaganda Neonazi e assume-se como defensor da "supremacia branca" e dos movimentos internacionais, incluindo o National Partisan Movement, através da propaganda que difunde.

PJ apreende computador usado no ciberataque a Windoh e no acesso às aulas de Zoom em 2020
PJ apreende computador usado no ciberataque a Windoh e no acesso às aulas de Zoom em 2020
Ver artigo

O jovem de 17 anos vai ser presente às autoridades judiciárias competentes, tendo em vista a aplicação das medidas de coação.

Em 2020 foram registadas várias perturbações de aulas online e na altura a PJ identificou também o presumível autor dos Zoombombing e apagou os conteúdos partilhados online.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.