Ajit Pai, presidente da Federal Communications Comission (FCC), admitiu esta quarta-feira, dia 5 de dezembro, que a Rússia interferiu no processo de implementação das novas regras que vão reger os princípios da neutralidade da internet nos EUA.

O responsável explicou que a interferência se fez sentir durante o período em que a agência recebeu comentários públicos ao debate que terminou com a decisão de revogar os princípios que impediam os fornecedores de internet de ditar a velocidade e a qualidade do acesso à mesma. Na altura, foram recebidos mais de 22 milhões de comentários.

EUA põem fim às regras da neutralidade da internet. Tecnológicas prometem “dar luta”
EUA põem fim às regras da neutralidade da internet. Tecnológicas prometem “dar luta”
Ver artigo

Em outubro passado foi aberta uma investigação para aferir a existência de atividades fraudulentas neste processo.

Numa audiência convocada no âmbito desta mesma investigação, Ajit Pai confirmou que cerca de 500 mil comentários estavam ligados a endereços de email russos. Cerca de 99% dos comentários estavam contra a revogação.

Note que em maio do ano passado, o site da FCC foi abaixo depois de o comediante e apresentador John Oliver ter apelado ao público para que inundasse plataforma da autoridade com comentários, durante uma emissão do seu programa Last Week Tonight. A agência explicou a situação com um ataque DDoS e nunca o relacionou com um pico no influxo de comentários. Em agosto, contudo, um inspetor revelou não existirem provas de qualquer ataque do género.

A investigação, que ainda está a ser levada a cabo, concluiu já que mais de metade dos 22 milhões de comentários é proveniente de emails temporários, duplicados ou falsos. De acordo com um estudo recente, realizado pelo Pew Research Center, apenas 17,4% dos comentários eram genuínos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.