As políticas da Amazon proíbem a empresa de utilizar dados de vendedores para prejudicar tanto as suas vendas, como os produtos que comercializam na plataforma, mas a prática pode ter-se afastado daquilo que a própria tecnológica define como regra. Segundo noticia o Wall Street Journal, que cita fontes não identificadas, colaboradores da Amazon têm estado a usar dados de vendedores para orientar o desenvolvimento de produtos, bem como para definir o seu preço, de forma a ganhar vantagem num cenário de concorrência. O jornal norte-americano dá como exemplo um organizador para porta-bagagens, que foi alegadamente criado depois de a empresa ter estudado as vendas e os gastos que uma outra marca teve com um produto semelhante na plataforma de ecommerce.

Serviços de Cloud da Amazon estão “na mira” do regulador do comércio norte-americano
Serviços de Cloud da Amazon estão “na mira” do regulador do comércio norte-americano
Ver artigo

A notícia indica que a prática envolve também alguns dos executivos da Amazon, que solicitaram a elaboração de relatórios sobre alguns vendedores em particular.

Em comunicado, a Amazon reitera que "proíbe estritamente" este tipo de comportamento. Em resposta às acusações, foi iniciada uma investigação interna para apurar se, de facto, alguma destas regras foi transgredida.

Como consequência, a empresa pode vir a enfrentar repercussões legais pesadas. Em julho de 2019, a Amazon falou perante o congresso dos EUA, onde afirmou não encetar práticas do género para ganhar uma vantagem concorrencial desleal perante os retalhistas que comercializam artigos nas suas plataformas. Caso estas acusações venham a provar-se verdadeiras, o testemunho da Amazon será considerado falso, o que pode agudizar a sua situação.

Mais importa sublinhar que a tecnológica pode vir a enfrentar ainda maior escrutínio por parte das autoridades reguladoras, tanto nos EUA como na Europa, caso a Amazon não consiga provar que o caso é falso ou se circunscreveu a um pequeno grupo de colaboradores, sem qualquer autorização das chefias.

Recorde-se que, em 2019, a empresa foi também acusada de alterar o algoritmo de busca da sua plataforma para favorecer a venda dos seus produtos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.