O lançamento do pequeno satélite em forma de cubo, CAPSTONE, foi enviado com sucesso para o espaço no final de junho, onde permaneceu durante seis dias na órbita terrestre até ganhar velocidade suficiente para prosseguir para a etapa seguinte. Ontem a NASA anunciou que o processo correu como o esperado, tendo-se libertado da orbita terrestre e seguido o seu destino até à Lua.

O certo é que o pequeno cubo deixou de comunicar com a base terrestre, logo após ter seguido viagem pelo espaço. A equipa perdeu as comunicações com o satélite e o seu futuro é agora uma incógnita. A NASA disse que a equipa está neste momento a trabalhar para compreender a causa e a tentar restabelecer o sinal com o satélite.

“A equipa tem bons dados sobre a trajetória da nave, baseado na primeira passagem completa e uma segunda passagem parcial da estação terrestre com a Deep Space Nwtwork”, disse a porta-voz da NASA, Sarah Frazier em email à imprensa, citada pela Space.com.

O CAPSTONE fez as primeiras etapas como previsto e “se for preciso, a missão tem combustível suficiente para adiar a manobra de correção da trajetória inicial, pós-separação, por diversos dias”, disse a NASA. A equipa espera ter atualizações sobre o estado de comunicação com o satélite nos próximos dias.

Foi referido que a missão atingiu dois grandes marcos: o primeiro foi ter ligado o motor pela última vez, acelerando a CAPSTONE para fora da órbita da Terra, estabelecendo o seu caminho para a Lua. O segundo foi a separação do foguetão que lhe deu boleia para o espaço.

O pequeno cubo pesa apenas 25 quilos e vai testar o caminho da órbita elíptica lunar para a estação espacial Gateway. Tem pela frente uma viagem de cerca de quatro meses, numa viagem lenta, prevendo-se a chegada à Lua no dia 13 de novembro. O objetivo da agência espacial norte-americana é colocar a CAPSTONE numa órbita quase retilínea em torno da Lua (Near Rectilinear Halo Orbit). Esta será a primeira vez a tentar-se esta órbita no espaço lunar, que servirá como ensaio para futuras missões lunares.

O CAPSTONE vai servir de explorador para a futura Gateway, a estação espacial que vai orbitar a Lua, como parte do programa Artemis que marcará o regresso do Homem ao satélite natural. A NASA diz que o CAPSTONE vai ajudar a reduzir o risco de futuras naves ao validar tecnologias de navegação inovadoras. Também vai verificar a dinâmica da sua órbita, que será a mesma a ser utilizada pelos astronautas. A Gateway vai funcionar como base de operações dos astronautas e como laboratório espacial, prevendo-se um lançamento a partir de 2024.

Espera-se que a missão Artemis 1 seja lançada na janela entre o dia 23 de agosto e 6 de setembro. Este primeiro módulo será não tripulado, servindo como ensaio à viagem até à Lua, em que vai ser estudado o impacto no corpo humano.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.