A telescola continua até ao final do ano letivo para a maioria dos alunos e o teletrabalho é ainda o "novo normal" para muitos profissionais, mas com a segunda fase de desconfinamento a avançar, a Anacom já dá conta de uma redução do consumo das comunicações, na voz e dados, quando ainda na semana anterior havia crescimento. Na semana de 18 a 24 de maio, o tráfego de comunicações eletrónicas caiu face à semana anterior, 7% no caso dos dados e 2% no caso da voz.

"Depois do excecional crescimento verificado na sequência da declaração de pandemia e do início do estado de emergência, o tráfego parece ter iniciado uma trajetória descendente, tendo atingido na semana em análise o seu valor mínimo desde a semana de 02 a 08/03, no caso da voz, e desde o início do estado de emergência no caso do tráfego de dados", refere a Anacom.

A queda foi maior nos dados da rede fixa, que cairam 7%, enquanto nos dados móveis a redução foi de 3% face à semana anterior à declaração da pandemia. No caso do tráfego de voz, tanto a voz móvel como a voz fixa registaram diminuições, de 2 e 5%, respetivamente.

Mesmo assim, o tráfego de dados encontra-se ainda 40% acima do verificado no período pré-COVID19, representando os dados fixos mais de 95% do total.

A Anacom dá ainda conta da redução do uso da sua ferramenta NET.mede para avaliar a velocidade de acesso à internet. Na semana de 18 a 24 de maio de 2020, nos acessos fixos residenciais registou-se uma média diária de 4021 testes, o que representa um decréscimo de 14% face ao verificado na semana anterior. O horário principal ocorreu entre as 14 e as 17 horas, com um ligeiro pico às 15 horas, o que a autoridade das comunicações indica que reflete também  o efeito do teletrabalho e do ensino à distância.

Duas semanas após desconfinamento mantém-se o crescimento das chamadas telefónicas
Duas semanas após desconfinamento mantém-se o crescimento das chamadas telefónicas
Ver artigo

Apesar de terem sido também feitas menos reclamações, foram apresentadas 1.956 reclamações sobre serviços de comunicações no livro de reclamações eletrónico, com um aumento das queixas relacionadas com o cancelamento de serviços, a velocidade da Internet e com os equipamentos. Segundo os dados, os problemas com a gestão dos contratos, o cancelamento e a avaria de serviços continuam a ser os assuntos mais reclamados pelos utilizadores e a Vodafone foi o operador mais referenciado pela segunda semana consecutiva.

De registar ainda uma diminuição do tráfego de encomendas postais, que tinha atingido um máximo na semana posterior ao final do estado de emergência e ao início do desconfinamento.

Nota da Redação: A notícia foi atualizada com mais informação e os gráficos. Última atualização às 11h37

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.