Foram muitos os leaks e especulações nos últimos meses, mas o Facebook vai mesmo avançar para a sua criptomoeda, batizada de Libra, assim como a carteira digital Calibra, que passa a ser uma subsidiária/consórcio da empresa de Mark Zuckerberg, com sede em Genebra, na Suíça. Segundo é referido, esta será responsável pelos serviços financeiros que permitem aos utilizadores aceder e participar na rede da Libra, a tecnologia desenvolvida pelo Facebook.

E a rede social já conta com o apoio de diversos parceiros importantes, tais como a MasterCard, Visa, PayPal, eBay, Uber, Lyft e Spotify, e outras, incluindo a portuguesa Farfetch, num total de 29 organizações envolvidas que funcionarão como uma espécie de "membros fundadores" da criptomoeda, como é possível ver na imagem. A rede social conta somar cerca de 100 parceiros até ao lançamento da tecnologia.

tek libra

A criptomoeda servirá para fazer transações entre particulares e estabelecimentos, e será também integrada nas plataformas WhatsApp e Messenger. A Calibra será lançada em 2020 e segundo refere o Facebook, citado pelo Engadget, o serviço de moeda virtual pretende facilitar os utilizadores a terem acesso aos serviços bancários básicos, destacando ainda que cerca de metade dos adultos espalhados pelo mundo não têm uma conta bancária ativa. Números que são piores em países subdesenvolvidos, sobretudo mulheres.

A rede social afirma que cerca de 70% dos pequenos negócios em países subdesenvolvidos não têm acesso a crédito, e que são perdidos cerca de 25 mil milhões de dólares pelos migrantes anualmente, através das taxas de despacho.

tek calibra

Na visão de Mark Zuckenberg, os utilizadores da carteira Calibra poderão enviar e receber criptomoedas através dos smartphones. O plano é facilitar o pagamento de contas, mas também um simples café através de um scan de um código, sem carregar dinheiro ou cartões físicos de crédito no bolso.

Através do website oficial, os interessados podem fazer as transferências para a conta Calibra, escolhendo o fornecedor de pagamentos que necessite, tal como a MasterCard, Visa, PayPal e Stripe. É possível fazer a conversão de dólares na criptomoeda Libra, localmente ou online, avança o Engadget. E a carteira vai também ganhar uma app independente, para Android e iOS, quando a criptomoeda começar a funcionar no próximo ano.

Considerando as questões de segurança e privacidade como uma prioridade, aspetos que o Facebook não tem grande reputação atualmente, a empresa afirma que a fundação Calibra não irá partilhar dados com a rede social, sejam informações dos utilizadores, incluindo as suas finanças. Dessa forma, a empresa descarta a utilização dos dados para melhorar o alvo da publicidade na sua família de apps. Por outro lado, a Calibra irá utilizar os dados do Facebook em conformidade com a lei e tornar as contas dos clientes mais seguras, para mitigar os riscos e prevenir atividade criminosa.

Por fim, os utilizadores poderão decidir, após receberem um pagamento em Libra, se mantêm o valor da criptomoeda ou se fazem o câmbio na divisa doméstica, de acordo com a conversão, e transferem o valor para um banco local.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.