Mmhmm (sim, não nos enganámos) é o nome da empresa que promete transformar as videocalls online. A tecnológica é liderada pelo ex CEO da Evernote, Phil Libin, e acaba de garantir 4,5 milhões de dólares em financiamento.

O produto que está a desenvolver é não mais do que uma câmara virtual, que pode ser operada em conjunto com vários programas de videoconferência, como o Zoom e o Google Meet. O software pode ser utilizado para transformar o seu cenário num autêntico palco virtual.

Para além de fundos estáticos e animados, já popularizados por outras propostas, a Mmhmm oferece-lhe ainda a possibilidade de misturar slides de apresentações e sobrepor imagens na sua própria janela, durante a conversa, o que lhe dá uma outra flexibilidade na hora de comunicar com colegas de trabalho e clientes. A tecnológica explica que, através de um simples toque no rato, pode movimentar a sua cara, aumentar e reduzir elementos e ocultar-se por completo. Pode ainda adicionar transparência à sua silhueta e aparecer sobreposto a outros elementos gráficos. Note ainda que todas estas criações podem ser feitas em colaboração com um outro contacto.

Esta solução pode ser igualmente utilizada para dinamizar livestreams no YouTube, por exemplo.

Zoom atinge os 300 milhões de utilizadores diários apesar dos incidentes de segurança
Zoom atinge os 300 milhões de utilizadores diários apesar dos incidentes de segurança
Ver artigo

A versão beta do Mmhmm está disponível desde esta terça-feira, dia 7 de julho, mas apenas por convite, para macOS Catalina. As versões para Windows, Android e iOS deverão ser lançadas nos próximos meses.

Phil Libin explica que a ideia surgiu quando ele e a sua equipa foram obrigados a trabalhar em casa, por culpa da pandemia de COVID-19. O CEO e os seus trabalhadores consideraram que as opções disponíveis para fazerem videoconferências eram bastante reduzidas e curtas em funcionalidades, pelo que se viram quase obrigados a desenvolver uma ferramenta que mudasse isso.

Libin acredita que as videoconferências vão continuar a ser frequentes, mesmo depois de a pandemia terminar. O russo sublinha que "toda a gente marca presença por vídeo, hoje em dia" e isso abre portas a uma solução de software que melhore a versão digital que mostramos de nós próprios através da webcam.

O CEO admite que a empresa poderá vir a adotar um modelo de negócio "freemium", com o software a disponibilizar algumas funcionalidades gratuitamente e outras mediante subscrição. Libin acredita que esta ferramenta pode viabilizar inúmeros negócios online, como aulas de guitarra, por exemplo, onde o professor toca com uma apresentação das tablaturas a correr mesmo ao seu lado.

De acordo com Libin, esta é a app para "quem quer transmitir apresentações de PowerPoint em direto, em vez de Fortnite".

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.