A experiência científica TGF Monitor, liderada pela Universidade de Coimbra (UC), acaba de ser selecionada para ir para o Espaço a bordo do Space Rider, o primeiro veículo espacial reutilizável da Agência Espacial Europeia (ESA).

Em destaque na experiência está um sistema de deteção de telureto de cádmio (CdTe) pixelizado para raios gama e com capacidades polarimétricas. Como explica Rui Curado Silva, docente do Departamento de Física da Faculdade de Ciências e Tecnologia da UC (FCTUC), caso seja bem sucedida, irá contribuir para "estabelecer os detetores de CdTe como uma tecnologia com aplicações que vão da astrofísica à segurança da aviação".

O investigador detalha também que a experiência vai permitir realizar "novas medições científicas, em particular as relacionadas com flashes de raios gama terrestres (TGF na sigla em inglês)".  Os TGF "são emitidos por nuvens cumulonimbus", nuvens com grande desenvolvimento vertical associadas a sistemas de trovoadas, "e são uma preocupação para a saúde e a segurança de tripulações e passageiros de aeronaves".

Experiência TGF Monitor
créditos: UC

Os tópicos abrangidos pela experiência "poderão ser usados como plano de deteção de telescópios para astrofísica de altas energias; observação de emissões gama, nomeadamente da Nebulosa de Caranguejo, com um detetor de CdTe com capacidades polarimétricas; medições científicas das emissões de TGF, em particular, a possibilidade de medir a polarização linear pode contribuir para responder a questões em aberto sobre os processos físicos geradores de TGF", indica Rui Curado Silva.

Experiência TGF Monitor | Timeline
créditos: UC

A monitoração das emissões de TGF e avaliação do potencial dos detetores de CdTe pixelizados como monitores de TGF a bordo de aeronaves também faz parte da experiência. "A sua utilização como alerta e para a caracterização da magnitude da emissão poderia ser uma valiosa contribuição para a segurança da aviação", afirma o investigador.

O Space Rider será lançado a partir de Kourou, na Guiana Francesa, em 2024 a bordo de um foguetão Vega e estará em órbita dois meses numa órbita terrestre baixa equatorial. A experiência TGF Monitor "ficará exposta ao ambiente de radiação espacial", apontando "para o espaço, permitindo registar as emissões de raios gama, por exemplo da Nebulosa do Caranguejo, e também para a Terra, registando TGF", explica Rui Curado Silva.

No final da missão, o Space Rider vai aterrar em Kourou ou no aeroporto da ilha de Santa Maria, nos Açores. A experiência será então recuperada e analisada.

A equipa da TGF Monitor é coordenada por Rui Curado Silva e tem a participação do Laboratório de Instrumentação e Física Experimental de Partículas (LIP), da Universidade da Beira Interior (UBI) e das empresas Active Space Technologies (Coimbra) e Advacam (Praga, República Checa).

Nota de redação: A notícia foi atualizada com mais informação. (Última atualização:10h35)

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.