Com um toque de ironia, Miguel Paraíso apresenta-se no seu canal de YouTube como "um rapaz da linha de Sintra que faz vídeos sem graça". No entanto, o youtuber português de 25 anos tem mais de 300.000 seguidores na plataforma e em entrevista ao SAPO TeK garante que encara todo o trabalho por trás das paródias que lança como uma espécie de "refúgio", fazendo esquecer, por uns momentos, todos os seus problemas.

Como se consegue escrever letras para paródias quando se está num dia menos bom? Para Miguel Paraíso essa questão não é um problema. “Tenho a noção de que quando escrevi as paródias mais virais estava em momentos mais em baixo", confessa.

"Quando começo a escrever a paródia esqueço todos os problemas", garante Miguel Paraíso

Para além das próprias letras que escreve para as paródias, sempre da sua autoria, o jovem português também olha para a reação das pessoas, os comentários e as partilhas como algo que o preenche. No entanto, Miguel Paraíso não sentiu essa emoção durante algum tempo, pelo menos no canal de YouTube, já que esteve sem publicar durante cerca de oito meses.

Em entrevista ao SAPO TeK, o youtuber português explica a razão que o levou a estar ausente da plataforma da Google. “A motivação e a criatividade foram um bocadinho abaixo” devido à pandemia que marcou o ano de 2020 e Miguel Paraíso optou por lançar vídeos mais curtos em redes sociais como o Instagram.

“Já não é pelos likes e visualizações… Agora é mesmo pela saúde mental”

Elogiando os criadores de conteúdos que conseguiram manter a publicação de conteúdos de forma frequente, o youtuber português explica que, no seu caso, a pandemia veio abalar a motivação. “Preciso de me abstrair muito dos acontecimentos do exterior e de ver coisas novas e estarmos numa situação em que só se fala do mesmo nas notícias e redes sociais desmotiva um pouco”, garante.

E como reagem os seguidores a este tipo de ausência? “Acabam por nos cobrar um bocadinho e sentes a necessidade de criar novo conteúdo”.

Miguel Paraíso numa paródia sobre a quarentena
Captura de ecrã de um vídeo do canal de YouTube de Miguel Paraíso

Apesar desta ausência, Miguel Paraíso chegou a publicar quatro paródias sobre a pandemia no canal do YouTube. Desde a quarentena à frustração das pessoas em relação à COVID-19, e num deles até encarnando uma personagem de mulher, foram vários os vídeos que lançou na plataforma sobre o tema. No entanto, o jovem português garante agora que não quer continuar "a bater no ceguinho", optando por se distanciar relativamente à crise de saúde pública que já fez milhões de mortes em todo o mundo.

"Estou a tentar voltar ao YouTube com mais regularidade porque às vezes sinto falta de lançar um vídeo e ver a reação das pessoas”

Das paródias de futebol a temas da atualidade

Com o sonho de ser jogador de futebol em criança, depois de desistir dessa ambição, Miguel Paraíso, na altura com 16 anos, viu no YouTube uma forma de “impressionar as raparigas” com os seus vídeos. No entanto, passados sete anos, vê mudanças na forma de encarar o mundo digital e a Internet.

“Comecei a fazer paródias com cerca de 16 anos e agora tenho 25… Fui evoluindo”

O youtuber português admite que hoje em dia existem assuntos ou temas que não deve explorar. “Possivelmente em 2013 podíamos abordar temas que agora em 2021 se tocarmos vamos ser criticados”, afirma, garantindo que atualmente tem muito mais cuidado ao escrever as letras para as paródias.

“Hoje em dia antes de fazer uma letra tenho de pensar mesmo bem porque uma vez na Internet, para sempre na Internet”

E qual é o vídeo preferido de Miguel Paraíso? Na hora de escolher, o youtuber português admite ter dificuldade. No entanto, acaba por eleger aqueles que fez com jogadores de futebol como Bernardo Silva e Pizzi.

Adepto do Benfica, o youtuber português aventurou-se nas paródias relacionadas com o futebol e com o seu próprio clube em 2016 e são esses os vídeos mais virais do canal de YouTube. A paródia “Eu queria ser campeão”, dedicada à dificuldade do Sporting em ser campeão nos últimos anos, foi vista, por exemplo, mais de seis milhões de vezes.

Miguel Paraíso numa paródia sobre o Sporting
Captura de ecrã de um vídeo do canal de YouTube de Miguel Paraíso

E tendo em conta a importância do futebol em Portugal, Miguel Paraíso admite que já foi ameaçado por questões relacionadas com vídeos que lançou. “Chegou mesmo a acontecer eu tocar em temas polémicos e ter de colocar no início do vídeo que se tratava apenas de uma brincadeira”, explica.

Miguel Paraíso define-se, ainda, como uma pessoa crítica em relação aos conteúdos que publica. “Não consigo ver os meus vídeos mais do que uma vez”, admite.

“Não acordei em 2013 a pensar que queria ser youtuber. Isso nem me passava pela cabeça”

Licenciado em educação e comunicação multimédia, o sonho de Miguel Paraíso nunca foi ser youtuber. No entanto, assume-se satisfeito com o rumo que a vida acabou por tomar e garante estar entusiasmado com aquilo que o futuro lhe reserva.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.