Apesar de basear o seu software em plataformas open-source, como o Linux e o BusyBox, a Tesla não tem respeitado os termos de utilização destas tecnologias, que requerem a partilha dos produtos desenvolvidos através dos seus sistemas. A prática parece, contudo, estar a chegar ao fim, uma vez que a fabricante automóvel disponibilizou recentemente o código-fonte de alguns programas utilizados na criação do seu sistema de piloto automático e dos programas de informação que são exibidos na consola dos Model S e Model X. A gigante promete manter esta prática a par das atualizações mais recentes de software que for lançando.

Imagens de drone mostram como a Gigafactory da Tesla é mesmo grande
Imagens de drone mostram como a Gigafactory da Tesla é mesmo grande
Ver artigo

Note que não é possível construir a sua própria versão do Autopilot apenas com este código, uma vez que a Tesla não vai disponibilizar as aplicações que corre em cima deste sistema para lhe conferir todas as funcionalidades adicionais. Ainda assim, o disponibilizado é suficiente para conferir uma ideia daquilo que se passa no software da Tesla. A imprensa internacional sublinha ainda que este código pode ser utilizado por utilizadores interessados em desenvolver as suas próprias apps para o seu veículo; e por investigadores da área da cibersegurança em busca de bugs e outras falhas que possam comprometer os produtos da marca norte-americana, o que, em consequência, poderá levar à construção de equipamentos mais fiáveis. Por último, esta é também uma forma de a Tesla corresponder às exigências legais das licenças do software que utiliza para desenvolver o seu software.

Os arquivos onde a Tesla vai passar a carregar estes conteúdos estão disponíveis nos seguintes links:

https://github.com/teslamotors/buildroot

https://github.com/teslamotors/linux

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.