O Instagram é o próximo signatário da iniciativa da Comissão Europeia que pretende envolver ONGs, entidades públicas e empresas privadas no combate a mensagens racistas e de ódio e violência na Internet.

O Facebook, Twitter, YouTube e a Microsoft foram as primeiras empresas a comprometer-se nesta iniciativa, assinando o código de conduta em maio de 2016, e as últimas análises divulgadas pela Comissão Europeia mostram que o sistema já permite remover 70% das mensagens ilegais no espaço de 24 horas, depois de serem reportadas. As falhas existem porém na falta de um feedback sistemático aos utilizadores.

Com a adesão do Google + e do Instagram a esta iniciativa a Comissão acredita que a área coberta permite maior segurança e liberdade na internet, preservando a liberdade de expressão.

Em comunicado o executivo europeu reforça a ideia de que os principais compromissos do Código e Conduta estão cumpridos, mas que é preciso aprofundar algumas áreas, entre as quais a resposta aos utilizadores, que ainda falta em pelos menos um terço das notificações.

Combate ao discurso de ódio online: os resultados são encorajadores mas há muito por fazer
Combate ao discurso de ódio online: os resultados são encorajadores mas há muito por fazer
Ver artigo

Mas o mais relevante é o facto do Código de Conduta complementar a legislação contra o racismo e xenofobia, exigindo que os autores sejam efetivamente acusados. em média apenas um em cada cinco casos reportados às empresas online são também apresentados a ONG e autoridades policiais.

O número mais do que duplicou desde a última avaliação mas é preciso continuar a investir nesta área e fazer com que os casos sejam investigados de forma rápida pelas polícias, fazendo a ligação com a rede de cooperação com as autoridades nacionais responsáveis por combater o discurso de ódio online.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.